Autoconhecimento: A maior viagem está em nosso interior

Neuroplasticidade e Medicamentos Psiquiátricos

Sabemos que o Brasil é recordista mundial na prescrição de medicamentos ansiolíticos e anti-depressivos. Essas medicações atualmente são prescritas em larga escala e, na maioria das vezes, sem diagnóstico preciso e sem critérios. Detectam apenas sintomas como ansiedade e tristeza, e consequentemente, as indústrias farmacêuticas são as que mais lucram.

O profissional de saúde mental mais atualizado entende que medicações devem ser sempre prescritas com cautela e junto com o encaminhamento do paciente para terapias adequadas, como psicoterapia e terapias complementares (meditação, reike, etc).

As terapias complementares, ditas erroneamente como complementares, são essenciais no processo de cura do paciente. Porém, médicos convencionais, ou seja, não integrativos, além de não aceitarem, acabam menosprezando essas terapias tão importantes no processo de cura do indivíduo.

Assim, na maioria das vezes, os pacientes tomam medicações sem fazer junto a terapia. E na prática clínica observamos que não há melhora substancial do quadro quando existe somente a medicação. Isso porque as medicações, principalmente nos transtornos depressivos e ou ansiosos, servem na maioria dos casos para POTENCIALIZAR a tal da NEUROPLASTICIDADE CEREBRAL. Porém, sem terapia, seja ela complementar ou psicoterapia, o paciente não apresenta melhora no seu processo de cura.

Nosso cérebro funciona da seguinte maneira: cada situação, lugar, aprendizado, irá formar um chamado CIRCUITO NEURAL. Esse circuito é composto de várias sinapses causadas por diversos neurotransmissores em locais diferentes do cérebro. O caminho percorrido dessas sinapses forma o CIRCUITO NEURAL.

Esse circuito é sempre repetido diante de outras situações, que podem ser semelhantes ou arremeter memórias similares, sendo elas olfativas, táteis, auditivas, ou seja, sensoriais. Este mesmo circuito neural mediante a esse processo, cria uma PROGRAMAÇÃO MENTAL, a qual é repetida diversas vezes durante a vida.

O tratamento com terapias complementares, psicoterapia e medicações, quando são feitos concomitantes REPROGRAMAM o cérebro fazendo novas sinapses e criando novos CIRCUITOS NEURAIS, tornando-se importantíssimos para o processo de cura do individuo, no mesmo peso.

Cada um com sua função: a psicoterapia fazendo o indivíduo pensar de outra maneira, colocar um novo olhar sobre as situações; as terapias complementares como técnicas de bem estar e relaxamento, auxiliando na síntese e na utilização de neurotransmissores como acetilcolina, serotonina, etc; e as medicações QUANDO necessárias entrando nesse processo como FACILITADORAS da neuroplasticidade cerebral.


VEJA TAMBÉM

pneus mt

Qual a diferença entre pneus AT, HT, MT e SUV? Saiba qual escolher para sua viagem

Escolher um pneu pode parecer algo fácil, mas muitas pessoas não têm a menor ...

Casa da Chef: Aribnb Campos do Jordão

A Chef Anouk, proprietária do restaurante Donna Pinha, decidiu criar uma experiência única para ...

Influenciadores de turismo podem ganhar dinheiro com nova Rede Social Tipzar

Acostumados com alertas, avisos e notificações que saltam na telinha do celular, nem percebemos ...

Dicas de uso do seu carro no inverno

As temperaturas caíram, mas seu carro está aí, firme e forte, andando e te ...

Frases para o uso diário

Vamos aprender algumas expressões simples para usar no dia a dia? Geralmente, preocupamos em ...

Transporte correto de pets

Vai viajar com seu pet? Saiba como transportá-lo em segurança e sem multas!

Para o transporte seguro e o bem-estar dos nosso bichinhos, é preciso seguir algumas ...